Início » Tiroteio durante treinamento da Portas Abertas na República Democrática do Congo

Tiroteio durante treinamento da Portas Abertas na República Democrática do Congo

0 comentário

Recentemente, o ataque de um homem armado na vizinhança interrompeu o treinamento da Portas Abertas em Kivu do Norte, estado da República Democrática do Congo (RDC). Um dos participantes do seminário, pastor Kambale, comentou: “O ensino que recebemos aqui fortaleceu nossa confiança em Deus, nosso criador, em todas as circunstâncias”. 


Mais de 65 líderes de igrejas e membros participavam do curso que tinha foco no discipulado. Mas os mentores decidiram incluir alguns módulos do treinamento de preparação para a perseguição chamado “Permanecendo Firmes Através da Tempestade”, considerando que a comunidade estava sob crescente ataque de radicais islâmicos. 


As Forças Democráticas Aliadas é um dos grupos extremistas islâmicos da República Democrática do Congo. Elas são conhecidas pelos assassinatos cruéis e dominaram partes de Kivu do Norte e da província de Ituri, Leste do país. 


Necessidades físicas e espirituais
 

Cristãos são os mais impactados nos ataques. Muitos perdem propriedades e até mesmo a vida. A igreja está traumatizada com os recorrentes assassinatos que testemunhou. A insegurança é intensa nas áreas isoladas, ao redor da floresta, onde ficam as fazendas.  


Famílias foram deslocadas e as igrejas têm mais viúvas e órfãos do que conseguem auxiliar; e sem poder cuidar das plantações, a fome tem aumentado. A criminalidade e a prostituição aumentaram, um ciclo difícil de ser quebrado. 


Além das necessidades físicas, há uma grande necessidade espiritual. Pastores disseram que os cristãos não estavam preparados para enfrentar a perseguição e os traumas decorrentes. Por isso a Portas Abertas tem investido em discipulado e treinamentos para a perseguição e também em cuidados emergenciais. 


Deus sempre presente
 

“O ensino veio na hora certa, quando nossa região começou a viver o caos por causa dos ataques. Nós vemos o treinamento como uma provisão enviada por Deus para nos preparar. Essas situações certamente se repetirão, mas é essencial confiar no Senhor que promete nunca nos abandonar ou esquecer de nós, mesmo nas aflições”, continuou o pastor Kambale. 


“Mesmo nos momentos difíceis, nosso Deus, o Altíssimo, está conosco e nos alegramos nele. Nós também temos sido encorajados a passar mais tempo com o Senhor. Recebemos uma mensagem dos parceiros da Portas Abertas que nos deu consolo e esperança. Louvamos ao Senhor pelo treinamento porque precisávamos disso. Obrigado por sua ajuda que sustenta esse projeto, nós confiamos no Senhor que vocês continuarão lembrando de nós”, concluiu. 

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Mais informações