Início » Professor cristão é preso no tribunal após se recusar a usar pronomes neutros em escola

Professor cristão é preso no tribunal após se recusar a usar pronomes neutros em escola

0 comentário

Um professor cristão foi preso por desacato ao tribunal após uma disputa com sua escola sobre o uso de pronomes transgêneros.

Enoch Burke foi suspenso pela Wilson’s Hospital School, um internato administrado pela Igreja da Irlanda no Condado de Westmeath, na Irlanda, depois de se recusar a usar os pronomes preferidos de um estudante transgênero.

 A aluna, com apoio da escola e dos pais, solicitou em maio que fosse usado o pronome ‘eles’ ao invés de ‘ele’.

Quando Burke se recusou a atender ao pedido, a escola iniciou um processo disciplinar e ele foi suspenso,  relata o Daily Mail.

Burke foi preso na segunda-feira por violar a ordem judicial e enviado para a prisão de Mountjoy por desacato ao tribunal. 

Ele disse que sua prisão era “insanidade”, mas acrescentou que isso não o faria mudar de posição.

“Eu não vou desistir de minhas crenças cristãs”, disse ele, de acordo com o Daily Mail. 

“Eu amo minha escola, com seu lema Res Non Verba, ações não palavras, mas estou aqui hoje porque disse que não chamaria um menino de menina.” 

Burke disse que o transgenerismo ia contra suas crenças cristãs e que ele não deveria ser forçado a violar sua consciência.

“É contrário às Escrituras, contrário ao ethos da Igreja da Irlanda e da minha escola”, disse ele. 

Burke continuou afirmando que em toda a Irlanda, os professores estão sendo “forçados” a usar pronomes neutros em termos de gênero. 

“É extraordinário e repreensível que as crenças religiosas de alguém sobre este assunto possam ser tomadas como base para uma alegação de má conduta”, continuou ele.

“Minhas crenças religiosas não são má conduta. Não são má conduta grosseira. Nunca serão.

“Eles são queridos para mim. Eu nunca vou negá-los e nunca traí-los, e eu nunca vou me curvar a uma ordem que exija que eu faça isso.

“Simplesmente não é possível para mim fazer isso.”

Rosemary Mallon BL, representando o conselho de administração da escola, disse ao tribunal que eles queriam que Burke cumprisse a ordem judicial.

“… O Sr. Burke está conscientemente violando esta ordem, ele está, portanto, em desacato e ele deixou claro que se ele não for preso, ele irá frequentar a escola [hoje], e as preocupações da escola em relação a interrupção contínua para os alunos permanece”, disse ela.

O juiz Michael Quinn disse a Burke que ele pode ser solto se concordar em cumprir a ordem judicial.

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Mais informações