Início » Ex-muçulmana lembra como a visão de Jesus a levou a Cristo quando ela era suicida

Ex-muçulmana lembra como a visão de Jesus a levou a Cristo quando ela era suicida

0 comentário

Vivendo sua primeira infância em Teerã, Irã, antes de se mudar para os Estados Unidos em tenra idade, Nikta e sua irmã desenvolveram uma espécie de “raia rebelde”, apesar de terem crescido em uma família muçulmana “estrita”. 

Nikta (sobrenome omitido devido a questões de privacidade) disse ao The Christian Post em uma entrevista recente que nem sempre sentiu “amor” quando criança. Seus pais trabalhavam duro, mas frequentemente discutiam. Depois que a família se mudou para a Califórnia para buscar uma educação melhor em um país livre, Nikta disse que experimentou seu primeiro cigarro aos 7 anos e bebeu álcool na oitava série com o incentivo de sua irmã mais velha. 

Uma experiência traumática com uma das amigas de sua irmã a levou a beber “o tempo todo” na adolescência. Ela também se interessou por ideias da nova era e colecionou cristais depois de começar a frequentar o ensino médio na Califórnia.

Durante seus anos de faculdade, Nikta começou a se sentir suicida e ansiosa, mais tarde crescendo em uma enorme ansiedade social, dificultando a faculdade na Califórnia. Sua mãe sugeriu que ela e sua irmã viajassem para o Irã no verão para que pudessem se reconectar com a família, insistindo que isso a faria se sentir melhor. 

“E eu fiquei tipo, ‘Mãe, estou com dores de estômago tão ruins, eu realmente não quero sair de casa'”, lembrou Nikta. “‘Eu não quero ir. Eu realmente não queria ir.'” 

Embora ela não quisesse ir, foi nessa viagem que ela teve uma visão de Jesus que finalmente a convenceu a deixar a fé muçulmana para trás e abraçar uma nova fé em Cristo, uma decisão que custou caro para ela no início. 

Uma visão de Jesus

Apesar de suas objeções, a mãe de Nikta a mandou para o Irã mesmo assim. Ela lembrou que quando ela desembarcou, ela imediatamente quis ir para casa. Mas agora, Nikta vê que a viagem era realmente parte do plano de Deus para sua vida.

Uma noite, deitada no quarto de sua tia, Nikta disse que teve uma visão de Jesus. Ele tinha cabelos longos e escuros e um manto azul. Ela lembrou que Ele estava dentro de uma velha igreja de madeira com vitrais.

“E Ele olhou para mim e me comunicou: ‘Siga-me'”, disse ela. “Eu não podia ouvi-lo dizer ‘Siga-me’, mas sei que Ele disse isso.” 

Nikta procurou uma foto de Jesus no Google. E para sua surpresa, a imagem que encontrou era a mesma que tinha visto em sua visão.  

“E então eu imediatamente comecei a pensar: ‘Tenho que me tornar cristã porque acabei de ver Jesus'”, disse ela ao CP. “‘OK, o que é o cristianismo?'” 

Ela mandou uma mensagem para seu namorado cristão, e ele se ofereceu para levá-la à igreja se ela quisesse aprender mais sobre Jesus quando ela voltasse para a Califórnia. 

Nikta informou seu avô muçulmano sobre sua visão e seu plano de se converter ao cristianismo. Ela pensou que seu avô ficaria animado. Mas, em vez disso, ele perguntou por que ela deixaria o Islã. A irmã de Nikta disse que ela era “louca”. 

“Então foi apenas o meu primeiro gostinho de como o mundo não O aceita como achamos que deveriam”, disse Nikta. 

Quando ela voltou para a Califórnia, Nikta começou a frequentar a igreja com o namorado. Ela disse que descobriu que quanto mais orava, mais o Senhor falava com ela. Ela lembrou como tudo parecia “vivo” depois de ser batizada. Nikta se lembrou de como o Deus que “vê dentro de nossos corações” preenchia seus pensamentos. 

“Acredito que foi um sinal de que Deus estava me levando para esta nova vida, onde eu podia ver o Espírito”, comentou Nikta. 

Nikta não voltou ao Irã desde sua conversão ao cristianismo. Uma República Islâmica, o governo iraniano, é conhecida por perseguir a minoria cristã da nação. A Open Doors USA, um órgão internacional de vigilância da perseguição cristã, classifica o Irã como o nono pior país quando se trata de perseguição cristã. Os cristãos convertidos do Islã estão em maior risco. 

A família dela responde 

Seus pais receberam a certidão de batismo pelo correio. Nikta se lembrou de sua mãe dizendo a ela que ela não era a mesma filha que ela criou e não poderia apoiar sua conversão, fazendo Nikta se sentir deserdada. 

Quando Nikta saiu de casa, ela teve uma visão de três anjos viajando com ela. Ela continuou orando a Deus por conforto. Ela contou ao namorado o que havia acontecido, e ele voltou para casa com ela. 

Os pais de Nikta estavam perguntando sobre seu paradeiro. 

A ex-muçulmana sentiu medo, pois ouviu histórias de pais muçulmanos decapitando suas filhas por se tornarem cristãs. Quando ela entrou na casa, Nikta disse que seu pai começou a gritar com ela, a empurrou e pisou em sua cabeça. 

“E ele estava dizendo: ‘Você não vale nada. Quem você pensa que é? Porque você segue Jesus, você se acha tão especial'”, lembrou Nikta.  

Nikta saiu correndo de casa e foi morar com o namorado e a família dele. O casal se casou alguns anos depois. Eles agora têm um filho. 

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Mais informações