Início » Enquanto a Rússia invade a Ucrânia pastores decidem ficar “A oração é a nossa arma”

Enquanto a Rússia invade a Ucrânia pastores decidem ficar “A oração é a nossa arma”

0 comentário

Os evangélicos em Kiev falam em confiar em Deus e defender o país. Igrejas estão oferecendo abrigo aos refugiados. Líderes cristãos em Moscou expressam sua oposição à guerra. “Temer paralisias, oração, confiança em Deus, cuidar do seu próximo – dá força”.

O governo da Ucrânia confirmou na manhã de 25 de fevereiro que as tropas russas haviam chegado à capital, Kiev. Dezenas morreram, dezenas de milhares de refugiados estão deixando suas casas.

“Eu não dormi hoje à noite, porque ouvi golpes fortes 3-4 vezes, e então houve silêncio. Então percebi que esse ataque começou em instalações estratégicas”, disse Tanya Pinchuk ao site de notícias espanhol Protestante Digital. Ela é uma jornalista cristã que mora em Kiev e teve que se refugiar com sua família em um abrigo antibombas colocado em uma escola durante as primeiras horas da manhã.

Ela ressaltou que “o exército russo atacou bases militares, lugares estratégicos importantes. Muitas pessoas não estavam prontas e começaram a entrar em pânico. Eles compraram tudo nos supermercados e tiveram que fugir de Kiev, mas não há lugar seguro agora, exceto o oeste da Ucrânia”.

“Precisamos de orações, em geral estamos seguros aqui, mas é assustador ouvir o barulho dos aviões militares, sem saber se é a Ucrânia ou o inimigo. É uma situação muito perigosa”, acrescentou Pinchuk.

O jornalista ucraniano trabalha em uma rádio secular, mas “mas com uma equipe cristã”, e eles “mudou o programa para incentivar as pessoas a orar e reduzir o pânico, dando conselhos práticos sobre o que fazer em tais situações em diferentes áreas”.

O presidente do movimento civil cristão Vsi razom! e da associação de jornalistas cristãos Novomedia, Ruslan Kukharchuk, descreve o que está acontecendo como “soterrível que, às momentos, até pareça irreal”. “Isso não acontece na realidade. Isso só acontece nos enredos de filmes e livros de história”, diz ele.

De acordo com Kukharchuk, “agora na Ucrânia estamos mais unidos do que nunca”. “Continue orando por nós, que Deus nos ajude”, conclui ele.

Liderança cristã comprometida com o apoio espiritual e material
“As pessoas nas igrejas estão com medo e preocupação”, disse o pastor Sergei Nakul falando de seu prédio de igreja em Kiev. “Por favor, mantenha a calma e continue orando corporalmente e sabiamente a nosso Senhor. Por favor, ore pelo nosso povo, nossas famílias e igrejas”, acrescentou. Nakul disse que missionários, pastores e emissoras de rádio procuraram continuar compartilhando “as Boas novas de Jesus Cristo”, acrescentando que “nestes tempos perigosos, é disso que nosso povo realmente precisa”.

Os cristãos evangélicos representam cerca de 2% da população ucraniana.

Os ministérios da radiodifusão, muito presentes na Europa Oriental, sofreram, como a Rádio Cristã New Life em Odessa. “Nossa tentativa de levar equipamentos de automação de rádio para a Moldávia, a fim de continuar as transmissões, foi frustrada à medida que as fronteiras são fechadas”. O ministério da mídia “difundirá a mensagem de Cristo e Seu Evangelho, sabendo que tanto o povo da Rússia quanto a Ucrânia precisam saber sobre nosso Salvador, que está no controle total dos assuntos do mundo”, disseram eles. Anteriormente, os funcionários testemunharam mísseis caindo perto de suas casas e temiam que seus estúdios fossem invadidos pelas tropas russas.

Líderes batistas na Ucrânia compartilharam detalhes da situação em uma videochamada internacional em 24 de fevereiro. Mísseis explodiram perto de um orfanato que está sendo apoiado pela União Batista. Igrejas foram mobilizadas para apoiar refugiados nas rotas de evacuação mais prováveis.

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Mais informações