Início » Cristãos que ‘votam errado’ e relativizam valores bíblicos são ‘infiéis’, diz teólogo

Cristãos que ‘votam errado’ e relativizam valores bíblicos são ‘infiéis’, diz teólogo

0 comentário

O respeitado teólogo batista Albert Mohler fez uma palestra em uma igreja e afirmou que os cristãos devem “votar da maneira certa” nas próximas eleições, já que as consequências de “votar erroneamente” podem ser catastróficas.

Mohler argumentou que “as grandes batalhas ainda estão por vir” para os cristãos contemporâneos, indicando que a situação atual ainda não é o pior cenário que o mundo verá.

A palestra na Primeira Igreja Batista de Atlanta ocorre no contexto dos Estados Unidos, que terá eleições parlamentares em novembro, quando os norte-americanos elegerão os novos representantes das Casas. Apesar disso, suas afirmações servem de paralelo para os cristãos no Brasil também.

“O que está em jogo” nas próximas eleições, segundo Mohler, é a proteção à “vida humana não nascida”, “dignidade humana e a santidade de cada vida humana”, “a integridade do casamento como parte da ordem da criação de Deus”, “a integridade e a saúde da família” e “se homem biológico significa menino, mulher biológica significa menina e mulher ou não”.

Essa ponderação se dá por conta do alto número de candidatos à Casa dos Representantes e ao Senado que defendem bandeiras como a ideologia de gênero, a aprovação de leis que tornem o aborto legal novamente no país, e outras pautas progressistas.

Mohler declarou: “Estamos em tempos de guerra […] Temos mais 50 anos de trabalho a fazer. As grandes batalhas ainda estão por vir [e por isso é importante] votar certo”.

“Cada eleição importa, mas cada eleição é seguida pela próxima, e a fidelidade agora é absolutamente necessária. Temos a responsabilidade de garantir que os cristãos entendam a administração do voto, o que significa o discipulado do voto, o que significa a urgência do voto, o tesouro do voto e eles precisam entender isso na medida em que se não votam ou votam erradamente são infiéis, porque o voto é uma administração poderosa”.

Esse conceito do voto como uma responsabilidade foi posto pelo teólogo como um eco da decisão tomada pela Suprema Corte de revogar o precedente jurídico que garantia a prática do aborto nos EUA. Essa mudança só foi possível porque o presidente anterior, Donald Trump, indicou juízes conservadores para o colegiado.

“É muito importante quem está sentado no Capitólio dos Estados Unidos, na Câmara dos Deputados e no Senado. É muito importante quem está sentado atrás do Salão Oval na Casa Branca”, afirmou, orientando os fiéis a serem seletivos na escola dos candidatos.

De acordo com informações do portal The Christian Post, alguns pastores usaram as redes sociais para critica-lo, e o teólogo batista não recuou: “Se você está ofendido que eu encorajo os cristãos a votar em candidatos que defendem os nascituros e apoiam a integridade do casamento e a não votar contra candidatos que apoiam o aborto e subvertem o casamento, essa tem sido minha mensagem para toda a minha vida adulta”.

FONTE: FILHOS DE DEUS COM  The Christian Post

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Mais informações