Início » A Série Cristã ‘The Chosen’ ultrapassou a marca dos incríveis 100 milhões de Visualizações

A Série Cristã ‘The Chosen’ ultrapassou a marca dos incríveis 100 milhões de Visualizações

0 comentário

A série de streaming baseada na Bíblia The Chosen ultrapassou 100 milhões de visualizações nos últimos dias, marcando outro marco impressionante para um projeto que atraiu altas notas de telespectadores diários, mas também de críticos.

Sucesso

Outra curiosidade é que The Chosen tem superado expectativas e quebrado recordes desde que foi lançada. A série foi produzida por meio de uma campanha de financiamento coletivo (crowdfunding), que arrecadou mais de 11 milhões de dólares de 16 mil investidores. Foi reconhecida como o projeto de mídia que quebrou todos os recordes de produções por meio de crowdfunding em 2018. De acordo com a VidAngel, mais de 1 bilhão de pessoas em todo o mundo já assistiram à série.

Além dos milhares de apoiadores, a série também tem batido recordes de aceitação e classificação. Ela está na lista das 250 melhores séries de todos os tempos da base internacional de dados sobre cinema, músicas e séries IMDb, ao lado de produções de gigantes do entretenimento como Netflix e HBO.

A primeira temporada conta com o piloto e mais oito episódios que retratam os primeiros milagres e ensinamentos de Jesus. A segunda temporada foi lançada no Domingo de Páscoa, 4, e pretende ter sete episódios, que ressaltam o relacionamento de Jesus com seus discípulos. Além de dirigir, Jenkins também escreve os roteiros da série, em parceria com Ryan Swanson e Tyler Thompson.

Realismo e profundidade

Além da qualidade cinematográfica, a série se destaca pelo fato de Jesus e seus discípulos serem retratados de maneira profundamente humana, permitindo que o espectador se identifique com as personagens e compreenda, com riqueza de detalhes, o significado dos acontecimentos narrados pelos evangelhos.

Maria Madalena, por exemplo, é uma personagem cujo passado é envolto em muitos mistérios e especulações. Os textos bíblicos, de fato, apenas confirmam que ela era aquela da qual Jesus expulsou sete demônios. É sobre essa informação que os roteiristas desenvolveram a narrativa e ajudam a entender o quando foi forte e transformador para ela o encontro com Cristo.

Nesse mesmo contexto, Nicodemos, o chefe dos fariseus que simpatizava com Jesus e o encontrava em segredo para não ser descoberto pelos membros de sua seita, é retratado com ênfase na sua curiosidade em conhecer aquele homem que atraía multidões e realizava milagres. Os gestos de Jesus provocavam nesse mestre da Lei uma inquietação que fazia com que questionasse tudo aquilo que tinha por verdade.

Simão Pedro, por sua vez, é mostrado como quem, de fato, era: um pescador, simples, mas, ao mesmo tempo, impulsivo e perspicaz. A narrativa também ajuda o espectador a compreender como o pregador de Nazaré tocou o jovem pescador a ponto de ele deixar tudo aquilo que tinha de mais essencial em sua vida para segui-lo aonde fosse.

Jesus

O personagem principal da série é retratado da maneira como se imagina que as pessoas que viviam em sua época o viam: um ser humano. Ao contrário dos evangelhos que relatam as experiências e gestos de Jesus já a partir da compreensão que os apóstolos tiveram após os acontecimentos da Paixão, Morte e Ressureição, isto é, em uma perspectiva teológica, The Chosen mostra um Jesus de Nazaré como um homem comum, que comia, bebia, trabalhava, dançava e que interpelava as pessoas em meio aos acontecimentos cotidianos.

É nesse contexto de cotidianidade que Cristo inicia sua vida pública e começa a realizar os primeiros milagres, que intrigam e, ao mesmo tempo, atraem a atenção das multidões e das autoridades da época. Esse é outro aspecto ressaltado na série, a maneira como a comunidade judaica era oprimida pelo Império Romano, o que ajuda a compreender o que representava para aquelas pessoas a espera do Messias libertador e por que nem todos conseguiram compreender logo que esse era o carpinteiro de Nazaré.

Jesus é interpretado pelo ator Jonathan Roumie, católico praticante que afirmou em diversas entrevistas que pôde se aproximar ainda mais de Cristo por meio desse trabalho. Embora tenha dado vida a Cristo na série, o ator relatou que, na verdade, viu-se muito mais no personagem Pedro, identificando-se com suas imperfeições e lutas.

“Pedro era teimoso. Demorou algum tempo na vida para chegar ao ponto em que se humilhava, desistia. Mesmo assim, depois dois anos e meio ou três, ele ainda o nega”, disse Roumie ao site Patheos, acrescentando: “Só pela graça de Deus nos levantamos de novo, como Pedro fez. Nisso é o que a fé em Jesus Cristo realmente consiste”.

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Mais informações